Agosto 1, 2016

Oradores

Fernanda Rollo

fernandarolo

Secretária de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior.
Doutorada e Agregada em História Contemporânea pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas (FCSH), da Universidade Nova de Lisboa. Professora associada com agregação do Departamento de História. Investigadora e Presidente do Instituto de História Contemporânea da FCSH, foi coordenadora do Programa Pedro Hispano – Estudos Doutorais em Ciências Sociais e Humanas da mesma faculdade. Membro do Conselho Consultivo do Programa Gulbenkian de Língua e Cultura Portuguesas da Fundação Calouste Gulbenkian. Coordenou projetos de investigação e tem vários textos publicados nas áreas de investigação história de Portugal no século XX, história da economia e da sociedade no Portugal contemporâneo e história da inovação e da organização da ciência em Portugal.

Simon Hodson

simonhudson

É diretor executivo do CODATA (International Council for Science: Committee on Data for Science and Technology) desde agosto de 2013, uma organização cuja missão é fortalecer a ciência internacional para benefício da sociedade promovendo uma gestão de dados melhorada e facilitando a sua reutilização. Encontra-se também diretamente envolvido enquanto consultor de variados projetos relacionados com a área de gestão de dados de investigação científica. Estes incluem o “Data Sharing Group – GEO” assim como o conselho científico do projeto CESSDA, a infraestrutura europeia para as ciências sociais. Além disso, integra o conselho de administração do repositório de dados Dryad, uma iniciativa sem fins lucrativos que tem por objetivo tornar publicações científicas e os dados correspondentes mais acessíveis e reutilizáveis, sem custos adicionais.
Entre 2009 e 2013 e enquanto gestor de projeto liderou duas fases sucessivas do inovador programa do JISC “Managing Research Data”.


Kevin Ashley

ashley (1)

Kevin Ashley é Diretor do Digital Curation Center (Reino Unido) desde abril de 2010, sucedendo o primeiro diretor permanente Chris Rusbridge. Atualmente serve vários conselhos consultivos no domínio da preservação digital e infraestruturas de dados de investigação, sendo Vice-Presidente da Digital Preservation Coalition. De 1997 a 2010 foi diretor do Departamento de Arquivos Digitais, no Centro de Computação da Universidade de Londres (ULCC) onde foi responsável por um grupo multidisciplinar prestador de serviços relacionados com preservação digital e reutilização de recursos digitais, nomeadamente ações de formação.
Participou também noutras atividades de aconselhamento e direção, nomeadamente para o Comité de Infraestrutura e Recursos do JISC (JIIE), o Conselho de Aconselhamento da ERAPLANET, o “Archives Hub Steering Committee”, no grupo de trabalho para o projeto DL.ORG, no comité do GRDI2020 e no grupo de aconselhamento do Digital Preservation Handbook (Beagrie & Jones). Trabalhou previamente no desenvolvimento e normalização de protocolos de rede relevantes para as normas ANSI, BSI e EWOS.


Paolo Budroni

paolobudroni

Paolo Budroni recebeu o seu doutoramento em 1986 tendo em 1988 completado os seus estudos académicos na Universidade de Economia e Negócios de Viena, na Áustria, e concluído uma pós-graduação em Integração Europeia para a Administração Pública. Durante um período de sabática, trabalhou enquanto Docente em cursos de marketing na Università degli Studi di Perugia (Scienze della Comunicazione) e foi diretor de Marketing e gestor de Desenvolvimento Estratégico de Negócios (Strategic Business Development) para uma companhia alemã de telecomunicações.
Atualmente, é o diretor do projeto Phaidra (Permanent Hosting, Archiving, and Indexing of Digital Resources), um sistema de arquivo digital para a gestão de dados de investigação. Desde 2014 que trabalha também enquanto diretor do projeto “e-Infrastructures Austria”, uma iniciativa a nível nacional que envolve as universidades e a Biblioteca Nacional que tem como objetivo a criação de uma rede austríaca de competências no domínio dos repositórios e dados de investigação.
Projetos relacionados: OpenAIRE, Europeana Libraries, TEMPUS in the Western Balkan Region, H2020-LEARN, E-IRG (Austria).


Barend Mons

barendmons

Barend Mons foi designado como coordenador do “High Level Expert Group” da iniciativa “European Open Science Cloud” da Comissão Europeia, DG Research and Innovation. É Professor de Bio-semântica no Departamento de Genética Humana no Centro Médico da Universidade de Leiden, exercendo também funções no Centro Médico de Erasmus, na Universidade de Roterdão, ambas na Holanda. É atualmente Coordenador do ELIXIR Node para a Holanda. É especialista nos princípios FAIR (Find, Access, Interoperate, Re-use), tecnologias semânticas, e Ciência Aberta. Publicou 70 artigos revistos por pares, detém três patentes em tecnologia semântica e é um orador regular em conferências internacionais. É licenciado em Biologia Molecular e recebeu o seu doutoramento em 1986, investigando a Genética de Parasitas da Malária na Universidade de Leiden. No ano 2000 trocou a Biologia por Tecnologias Semânticas e fundou o grupo de Bio-semântica. Atualmente, é também um dos diretores científicos do Netherlands Bioinformatics Centre (NBIC).


Natalia Manola

nataliamanola

Natalia Manola é investigadora associada na Universidade de Atenas, no Departamento de Informática e Telecomunicações e no Athena Research and Innovation Center. É licenciada em Física e mestre em Engenharia Elétrica e de Computação pela Universidade de Atenas. Trabalhou vários anos como Engenheira de Software, no sector de bioinformática. Desde 2009 que é Diretora do projeto OpenAIRE , uma das principais e-infraestruturas da Comissão Europeia que suporta o Acesso Aberto para todos os resultados científicos, sendo atualmente coordenadora da iniciativa OpenMinted, um projeto enquadrado no H2020 e focado no text and data mining. Os seus interesses científicos incluem temas relacionados com desenvolvimento e gestão e-infraestruturas, gestão de dados científicos, curadoria e validação de dados, visualização complexa de dados e políticas de acesso aberto.


Isabel Ferreira

isabel

Isabel C.F.R. Ferreira, 42 anos, é Professora Coordenadora com Agregação da Escola Superior Agrária do Instituto Politécnico de Bragança, membro da comissão diretiva do Centro de Investigação de Montanha (CIMO) e investigadora principal do grupo FST (Food Safety and Technology). Possui Agregação, Doutoramento e Mestrado na área da Química (Universidade do Minho), e Licenciatura em Bioquímica (Universidade do Porto).
É Editora Associada da Food & Function (revista científica da Royal Society of Chemistry) e da topical collection Bioactive Compounds da revista Molecules. É editora de livros internacionais e no decorrer da sua atividade de investigação já publicou mais de 380 artigos científicos indexados à ISI web of knowledge/Scopus (Índice H 42). É uma das investigadoras mais citadas mundialmente (top 1%) na área das Ciências Agrárias, tendo sido distinguida em dezembro de 2015 pela Thomson Reuters como uma das cientistas mais influentes do mundo na área “Agricultural Sciences”.
Da sua atividade científica, salienta-se ainda a coordenação de vários projetos de investigação e a sua distinção por vários prémios nomeadamente em 2001 com o Prémio de Investigação Gulbenkian, em 2011 com o prémio Food I&DT, em 2012 pelo programa EUREKA, em 2013 pelo ISPROF pela divulgação da ciência Portuguesa no Mundo, em 2014 pela COTNH na modalidade de cooperação internacional e em 2016 pelo Ciência Viva- Agência Nacional para a Cultura Científica e Tecnológica. Orienta vários trabalhos de pós-doutoramento, doutoramento e mestrado. É avaliadora de projetos de investigação e programas doutorais internacionais (ex., Programa Eurostar da União Europeia e Fundações de Ciência da Áustria, África do Sul, Chile, Croácia, Dinamarca, França, República Checa, Polónia, Suíça, Argentina e Portugal). Tem também atuado como avaliadora de bolsas de doutoramento e pós-doutoramento da Fundação para a Ciência e a Tecnologia Portuguesa (FCT- Coordenadora do painel de Tecnologias Agrárias e Alimentares e Outras Ciências da Engenharia e Tecnologias) e é membro do Conselho Científico de Avaliação do Programa Europeu ERA-NET ARIMNet 2. Mais informações em www.esa.ipb.pt/biochemcore.


Luís Catela Nunes

inunes

Luís Catela Nunes é Professor Catedrático na Nova School of Business and Economics da Universidade Nova de Lisboa. Doutorou-se em Economia pela Universidade de Illinois em Urbana-Champaign nos EUA. Durante o último ano foi Diretor Adjunto da Nova School of Business and Economics e investigador responsável pela sua unidade de investigação. É neste momento o coordenador do Social Sciences DataLab que faz parte do Roteiro Nacional de Infraestruturas de Investigação. A sua principal área de investigação é a Econometria Aplicada, ou seja, a aplicação de ferramentas estatísticas para transformar dados em informações e conhecimento com relevância económica. O seu trabalho tem sido publicado por prestigiadas revistas internacionais. Tem também uma vasta experiência na revisão e avaliação de artigos científicos e de projetos de investigação, e ainda na realização de estudos de economia aplicada e consultoria para empresas e instituições governamentais.


Cristina Ribeiro

cristina

Cristina Ribeiro é Professora Auxiliar no Departamento de Engenharia Informática da FEUP, Universidade do Porto, e investigadora senior do INESC TEC. Colaborou e foi responsável de projetos nas áreas do património cultural, bases de dados multimédia, recuperação de informação e otimização combinatória. Supervisionou 9 dissertações de doutoramento e 30 de mestrado. Foi responsável técnica do laboratório SAPO/U.Porto. A sua atividade de ensino desenvolve-se na Engenharia Informática e na Ciência da Informação. A gestão de dados de investigação está no centro da sua atividade de investigação atual, sendo investigadora principal do projeto TAIL (FCT/POCI), responsável pelo piloto DataPublication@U.Porto do projeto Europeu EUDAT e membro do grupo de trabalho para a Política Nacional da Ciência Aberta da SECTES. Os seus interesses de investigação incluem ainda a recuperação de informação, a preservação digital e a representação de conhecimento.


Hélia Marchante

helia

Hélia Marchante é bióloga focando a sua investigação na área das plantas invasoras. Tem um PhD em Biologia, com especialização em Ecologia pela Universidade de Coimbra, em colaboração com a Universidade da Cidade do Cabo. É docente na Escola Superior Agrária / Instituto Politécnico de Coimbra, desde 1997, tendo como áreas principais de ensino a Botânica e a Dendrologia e participando regularmente na supervisão de estágios. Adicionalmente, é investigadora no Centro de Ecologia Funcional da Universidade de Coimbra onde está envolvida em vários projetos sobre gestão de espécies de plantas invasoras (incluindo controlo natural), avaliação de impactos, restauração de sistemas invadidos e detecção remota de plantas invasoras. Publica regularmente em revistas científicas e livros da sua área de especialização, além de ser co-autora de numerosas comunicações em conferências. Está também envolvida em diversas atividades de comunicação de ciência e educação ambiental incluindo projetos de ciência cidadã focados em plantas invasoras.


Erik Fledderus

©Jelmer de Haas - All Rights Reserved

©Jelmer de Haas – All Rights Reserved

Erik Fledderus é Director Geral e membro do conselho de administração da SURF. É atualmente delegado da e-IRG na Holanda. Trabalhou previamente como Director Geral da Information Society na Netherlands Organisation for Applied Scientific Research (TNO) e como cientista principal (ICT). Trabalha também na Eindhoven University of Technology enquanto professor de Comunicações Wireless. Erik Fledderus conta com mais de 20 anos de experiência técnica e de gestão em várias posições e organizações como a University of Twente, a KPN Research, TNO, a Knowledge Platform on Electromagnetic Fields and Health, a Dutch Creative Industry e o Joint Institute for Innovation Policy (JIIP). Desde outubro de 2015 Erik lidera o DG Connect Advisory Forum.


Tiago Saborida

Saborida_PIC

Tiago Saborida licenciou-se em Engenharia do Ambiente pela Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa em 2005.
Iniciou a sua carreira profissional em 2006 no Gabinete das Relações Internacionais para a Ciência e Ensino Superior (MCTES) tendo, de 2007 a 2010, sido Ponto de Contacto Nacional ao 7º Programa-Quadro da UE no Gabinete de Promoção do Programa Quadro (GPPQ) para os temas Ambiente, Nanociências, Nanotecnologias, Materiais e Novas Tecnologias de Produção (NMP), e Transportes. Foi igualmente, nesse período, Delegado Alterno ao GEO – Group on Earth Observations.
Em 2010, no Departamento de Relações Internacionais da Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), dedicou-se às relações europeias na ciência, nomeadamente através da preparação dos Conselhos da Competitividade da EU e do acompanhamento da construção do Espaço Europeu de Investigação (ERA) no âmbito da Estratégia Europa2020.
O seu trabalho com as infraestruturas de investigação iniciou-se em 2014 no Departamento de Apoio às Instituições na FCT, onde é responsável pela equipa das infraestruturas de investigação, tendo participado no encerramento do concurso para a criação de um Roteiro Nacional e na preparação, em articulação com as Autoridades de Gestão dos Programas Operacionais Regionais e Temático, no Convite para financiamento das infraestruturas integradas no Roteiro Nacional no âmbito do Portugal 2020.

 


Eloy Rodrigues

eloy3

Eloy Rodrigues é Director dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho. Desenvolve intensa atividade na promoção do Acesso Aberto desde a criação do RepositóriUM em 2003, e desde 2008 lidera a equipa da Universidade do Minho que desenvolve o projeto Repositório Científico de Acesso Aberto de Portugal (www.rcaap.pt). É membro do EUA Expert Group on Science 2.0/Open Science, em representação do Conselho de Reitores das Universidades Portuguesas, e tem coordenado a participação da Universidade do Minho em vários projetos europeus relacionados com os repositórios e o Acesso Aberto.
É Presidente do Conselho Executivo da Confederation of Open Access Repositories (COAR), e membro da Comissão Executiva o Grupo de Trabalho – Política Nacional de Ciência Aberta.


João Nuno Ferreira

joaonferreira

João Ferreira é desde março de 2016 coordenador geral da FCCN, unidade da Fundação para a Ciência e a Tecnologia IP (FCT), tendo sido Vogal do Conselho Diretivo da FCT, com a responsabilidade pelas atividades da unidade FCCN, dos Serviços de Informática, do Arquivo de Ciência e Tecnologia e do Acesso Aberto. Entre janeiro e outubro de 2013 – data em que esta entidade foi integrada na FCT –  assumiu as funções de Presidente do Conselho Executivo da Fundação para a Computação Científica Nacional (FCCN), tendo previamente sido Director Técnico da mesma instituição (1993 – 2013). Ao longo deste período foi responsável por diversos serviços e projetos, nacionais e internacionais. Focou-se mais recentemente nos serviços e projectos da Rede Ciência, Tecnologia e Sociedade (RCTS), nomeadamente na implementação das ligações em fibra ótica. Para além desta vertente, acompanhou as diversas fases de desenvolvimento da RCTS, como plataforma avançada de apoio à ciência e a sua integração no contexto europeu das redes académicas, com destaque para a rede GÉANT.
É licenciado em Engenharia de Sistemas e Informática, em Dezembro de 1991, pela Universidade do Minho tendo em setembro de 1993 completado o Mestrado em Sistemas Distribuídos, Redes de Computadores e Comunicação de Dados, pela University College London, em Londres e obtido o MBA da Escola de Gestão do Porto, na Universidade do Porto, em 2003.


Ana Sanchez

ana

Ana Sanchez é Vogal do Conselho Diretivo da Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), tendo sido coordenadora do Gabinete de Comunicação e Divulgação de Ciência do Instituto de Tecnologia Química e Biológica (ITQB) da Universidade NOVA de Lisboa e membro da Unidade de Investigação Mostmicro. Exerce também funções de docente na área da comunicação de ciência na Universidade NOVA de Lisboa.
Licenciou-se em Biologia em 1995 pela Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa. Através do Programa Gulbenkian de Doutoramento em Biologia e Medicina (PGDM) fez o seu Doutoramento em Biologia na Katholieke Universiteit Nijmegen, Holanda (2001). De regresso a Portugal, dedicou-se à investigação como bolseira de pós-doutoramento no Instituto de Tecnologia Química e Biológica (ITQB), coordenando um projeto de investigação. É autora de uma dezena de artigos científicos.
Em 2005, aceitou o desafio de criar o gabinete de comunicação do ITQB, que tem vindo a coordenar. Nestas funções desenvolveu a vertente de comunicação institucional do ITQB, implementou um programa de divulgação de ciência envolvendo os investigadores e exerceu funções de assessoria da direção em muitos domínios. Tem coordenado e participado em projetos de difusão do conhecimento científico promovidos pela Agência Nacional Ciência Viva e pela União Europeia e é um membro ativo da comunidade portuguesa de comunicadores de ciência, tendo estado envolvida na criação da Associação SciCom.Pt, de que é Presidente da Mesa da Assembleia Geral. Da atividade docente, destaca-se a criação e coordenação do Mestrado em Comunicação de Ciência da Universidade NOVA de Lisboa. É responsável pelas unidades curriculares de comunicação de ciência em três Programas Doutorais financiados pela FCT e por dois cursos de comunicação de ciência da NOVA Doctoral School.
Nasceu em Lisboa, em 1972.


André Lapa

andre_lapa_AMA

Gestor de Projeto na Equipa de Usabilidade e Planeamento de Sistemas da Agência para a Modernização Administrativa (AMA). Desde 2013 que tem trabalhado em iniciativas e projetos relacionados com Governo Aberto (open government) e Dados Abertos (open data), sendo responsável pela gestão do portal nacional de dados abertos – dados.gov – e pela representação portuguesa em vários grupos internacionais, entre outras iniciativas. Licenciado e Mestre em Ciências da Comunicação, pela Universidade Católica Portuguesa, tem também experiência nas áreas do Marketing e Comunicação Digital, Relações Públicas e Desenvolvimento de Marca.


José Carlos Caldeira

caldeira2

É Presidente da ANI – Agência Nacional de Inovação e o representante nacional no Conselho da ESA. Até 2014, foi administrador Executivo do PRODUTECH – Pólo das Tecnologias de Produção e Director do INESC Porto – Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores do Porto. É membro do High Level Group da Plataforma Tecnológica MANUFUTURE e Chairman do seu National and Regional Technology Platforms Group. É delegado nacional ao NMP+B Programme Committee do HORIZON 2020 e, desde 2012, perito em RIS3 da DG REGIO.